A importância de estar de acordo com as leis fiscais

Tempo de leitura: 2 minutos

Segundo um estudo do SEBRAE, 22,3% dos comércios fecham nos dois primeiros anos de vida. Esse número, apesar de ser expressivo, tem apresentado uma queda nos últimos anos, o que mostra uma melhora na maturidade de nossos empreendedores. O período inicial é o mais crítico para a sobrevivência de uma empresa por diversos fatores como: a grande concorrência, você não é conhecido, o capital de giro é escasso e você precisa se afirmar no seu mercado.

Além disso, os principais fatores apontados pela pesquisa para a mortalidade das empresas é a falta de experiência do empresário e razões financeiras, como lucros insuficientes, juros elevados e perda de mercado. Visto isso, uma boa gestão é o principal fator para que uma empresa sobreviva nos primeiros anos de vida e cresça nos próximos anos. E estar dentro das leis fiscais tem papel importante nesse processo.

Planejar para crescer

Planejamento é a palavra-chave e toda a gestão deve ser baseada nele. Quanto mais planejado forem seus passos, melhor preparado você vai estar para as adversidades que serão encontradas pelo caminho. No meio de todo esse processo, passa a quantidade de impostos que você vai pagar. Ao lado de um bom contador, decida o enquadramento fiscal da sua empresa e entenda os impostos que deverão ser pagos. Vale lembrar que atualmente existe um grande incentivo por parte do governo para as novas empresas, então fique atento às possibilidades que existem no mercado para a regulamentação do seu negócio.

Ainda falando sobre impostos, o hábito, se assim pudermos chamar, de sonegação em comércios era muito comum no final dos anos 90, até meados dos anos 2000. Com os avanços da tecnologia, o governo conseguiu ter maior controle e essa prática diminuiu. Porém, ainda há um grande número de empresas que praticam a sonegação sem fazer as contas no papel, acreditando que dessa forma poderão obter algum tipo de vantagem. Porém, ao colocar na ponta do lápis todos os encargos negativos dessa prática, vê-se que há sempre muito mais a perder do que a ganhar. Ao praticar a sonegação fiscal, o micro e pequeno empresário pode ser notificado com uma advertência, multa pesada e até mesmo prisão.

Pense na empresa e nos seus valores

Olhando este cenário conseguimos entender porque muitos comércios acabam fechando nos primeiros dois anos de vida. Ao invés de estar focado no planejamento estratégico e na gestão de seu negócio, o empresário passa a viver o temor diário de ser pego pelo Fisco e, claro, sofrer as consequências disso.

Os valores que acreditamos, como lealdade, verdade, justiça entre outros, devem estar na cultura, nos funcionários e na gestão da empresa. Portanto se você não quer ser enganado e nem ter enganadores dentro da sua empresa, faça todo o processo de gestão dentro da lei desde o primeiro minuto de vida da sua empresa. Vai valer a pena, acredite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *