Confira 4 métodos de controle de estoque

Tempo de leitura: 6 minutos

De forma simplificada, controle de estoque é um conjunto de atividades de organização, planejamento e controle do fluxo de mercadorias ou materiais na empresa. Ou seja, toda a movimentação e armazenamento de produtos (acabados ou inacabados), matérias-primas, equipamentos e ferramentas.

Por meio de seu gerenciamento é possível acompanhar todas as informações pertinentes ao fluxo de materiais, para criar ações de melhoria e otimizar o processo de tomada de decisões, evitando excessos e ausência de produtos, por exemplo, além de reduzir custos, melhorar os procedimentos cotidianos e aumentar a produtividade do negócio.

No artigo de hoje mostraremos os principais métodos de controle de estoque utilizados por gestores empresariais, como implementá-los em sua gestão e a importância de contar com o auxílio da tecnologia nesses processos. Continue a leitura e confira!

Por que é importante manter um controle de estoque?

O controle de estoque não é um mero capricho a ser adotado pelos gestores empresariais, mas sim uma obrigação para manter a companhia organizada, produtiva e competitiva. Além disso, podemos afirmar que uma estratégia eficiente de controle de estoque permite:

  • um espaço físico otimizado;
  • uma gestão de produção eficiente;
  • compras da empresa mais organizadas;
  • uma comunicação assertiva entre os departamentos de compras, vendas e estoque;
  • redução nas perdas e prejuízos do negócio;
  • agregação de valor aos produtos e serviços comercializados pela empresa.

Para garantir esses e muitos outros benefícios ao seu empreendimento, considere implementar os principais métodos de controle de estoque em sua gestão, tais como:

1. Método PEPS

PEPS é a sigla para “Primeiro que Entra, Primeiro que Sai”. O método visa obedecer a ordem cronológica de venda dos produtos à medida que foram adquiridos. Ou seja, as mercadorias que entraram primeiro no estoque, têm prioridade em serem comercializadas.

Dessa forma, quando as vendas ocorrem, as primeiras unidades que entraram recebem baixa no sistema, seja para produção, seja na efetivação das vendas.

Nessa estratégia de gerenciamento de estoque, deve-se usar os custos dos lotes mais antigos conforme os produtos saem do estoque, seguindo para o segundo lote mais antigo e assim por diante.

A circulação de mercadorias deve acontecer de forma organizada e contínua, pois isso refletirá precisamente no custo real dos produtos.

2. Método UEPS

Contrário ao método anterior. A diferença é que o UEPS (Último a Entrar, Primeiro a Sair) como o próprio termo já diz, prioriza comercializar os últimos produtos que entraram no estoque.

O raciocínio funciona da seguinte forma: o custo do estoque deve considerar o preço das últimas unidades adquiridas e que foram lançadas no sistema do controle de estoque. Nessa estratégia, os preços mais recentes são os que valem, pois repercutirão nos últimos gastos com reposição de materiais, produtos ou mercadorias.

3. Método do Custo Médio

Também conhecido como método da média móvel ou média ponderada, certamente, esse é um dos métodos de controle de estoque mais eficientes, já que, no lugar dos custos efetivos, prioriza-se as aplicações dos custos médios.

Vale ressaltar, ainda, que uma de suas grandes vantagens é que ele é aceito pelo Fisco, o que contribui para que seja amplamente utilizado por gestores de empresas dos mais variados portes e segmentos comerciais.

Para entender como ele funciona acompanhe o seguinte exemplo: pense em uma papelaria que, ao realizar uma transação de venda de dez unidades de lápis, deve calcular o valor médio em estoque, sendo 5 x 1,00 + 10 x 2,00 / 15 = R$ 1,67. Ou seja, a saída total é de R$ 16,67 e o saldo do estoque deve ficar em torno de R$ 8,33.

Felizmente, na dedução do imposto de renda, a legislação permite o método do Custo Médio para fins de contabilidade e gerenciamento de custos.

4. Estoque Mínimo

Por fim, esse é um dos métodos de controle de estoque mais conhecidos e é voltado para a redução de custos. Sua estratégia visa fazer com que o estoque atinja a quantidade mínima necessária para atender as demandas de venda da empresa.

Nesse contexto, os gestores compram produtos e mercadorias apenas para suprir as necessidades de curto prazo.

No entanto, é necessário manter um controle rigoroso e preciso, para evitar que ocorram faltas e, consequentemente, perdas de vendas, visto que à medida que ocorrem aumentos na demanda, o risco das mercadorias chegarem depois do prazo planejado é proporcionalmente maior.

Além disso, para que a estratégia do Estoque Mínimo funcione na prática, é necessário estabelecer parcerias com fornecedores de alta credibilidade no mercado. Ou seja, aqueles que têm capacidade de suprir os seus estoques de acordo com as necessidades da empresa.

Para isso, é imprescindível definir um ponto de ressuprimento que, basicamente, é o momento em que o estoque atinge o nível de segurança e gera um alerta a respeito dos materiais que precisam ser comprados novamente.

Para isso, trabalhar com o auxílio da tecnologia é a melhor forma de gerenciar as atividades pertinentes à gestão de estoque. Falaremos sobre a importância de implementar um software para automação e gerenciamento de estoque no próximo tópico.

Como um software de gestão pode facilitar o controle de estoque?

Para finalizarmos o nosso conteúdo sobre os principais métodos de controle de estoque, não poderíamos deixar de citar a importância do papel de uma ferramenta tecnológica em todo o contexto da administração de mercadorias e produtos em estoque.

A cada dia, investir em sistemas e softwares modernos tem se mostrado como uma necessidade de sobrevivência no mercado, já que o alto nível de competitividade das empresas, aliado à facilidade de adquirir soluções de automação de tarefas são fatores que têm aumentado a importância de atualizar os processos empresariais e alinha a empresa à visão de inovação.

Um software que oferece recursos para gerir o estoque pode, por exemplo:

  • controlar os dados referentes às informações operacionais;
  • melhorar a agilidade nos processos;
  • automatizar a contabilização de mercadorias em estoque;
  • emitir alertas de segurança, evitando que a companhia perca vendas por falta de produtos, ou prejudique sua logística de produção;
  • reduzir o índice de falhas e equívocos humanos.

A eliminação dos processos manuais, basicamente, torna possível aumentar o controle sobre a operação como um todo, agregando valor às atividades operacionais e garantindo uma base sólida para o processo de tomada de decisões.

Quer conhecer mais método de controle de estoque para otimizar a sua gestão? Então entre em contato conosco para que possamos te ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *